sábado, 18 de março de 2017

Vida de Mineiro

No ar!...

Há um cheiro de café coado...
E num trespassado,
Pilão faz paçoca de amendoim.

Na bancada a mina d’água fresca
Enche a moringa,
Hidrata a arruda e o alecrim.

Canivete alisa afiado,
A palha que recebe,
O fumo de corda,
Pr’um pito sem fim...

A viola toda encantada,
Solta afinada,
Moda e cantigas,
Canções pra mim...



[ESTROFE]
De trabalho em trabalho eu vou,
A caminho da roça estou.
Deus do Céu proteja os teus filhos,
Protege o mineiro que vive disposto;
Que segue teus passos e faz com muito gosto;

Abençoa a terra q’acolhe o trabalho,
Gerando o fruto da saúde e paz,
Da felicidade que eu espalho....




Nas minhas mãos
As marcas bem fincadas,
Do trampo pesado,
Do sol abastado,
Do calor sem fim.

Com o sol a pino,
Faço a sesta.
Num assombreado,
Faço o meu rangado,
De arroz, suã e aipim.

No bornal,
Carrego aquela água,
Que brota sagrada,
Lá no meu rincão.

Trago em mim uma grande certeza,
Que a realeza desta minha justeza,
É Deus que me dá toda esta beleza,
Do meu coração.




ESTROFE
De trabalho em trabalho eu vou,
A caminho do rincão estou.
Deus do Céu proteja os teus filhos,
Protege o mineiro que vive disposto;
Que segue teus passos e faz com muito gosto;

Abençoa a terra q’acolhe o trabalho,
Gerando o fruto da saúde e paz,
Da felicidade que eu espalho....




Letra e Música: Donaldo Santos Junior - 18mar2017
Letra: Inspirada da Trova do autor Claudio Zeferino, com o mesmo título. - 21fev2017